Horário: De terça a domingo. Das 09h00 às 17h30.

Rua António Correia de Vasconcelos, 51

4630-095 Marco de Canaveses

As origens de Tongobriga

Império Romano

As Origens de Tongobriga

Durante muito tempo se pensou que Tongobriga deveria ser uma fundação da época do Imperador Augusto (27 a.C. – 14 d.C.). Como tal, teria sido criada nos últimos anos antes do início da era cristã. Com efeito, são muito escassos e pouco visíveis os vestígios anteriores.

Porém, na sequência dos trabalhos ultimamente desenvolvidos, sabemos hoje que existem indícios de uma ocupação sedentária na base da encosta Sul do povoado desde, pelo menos, a Idade do Bronze, cerca do séc. XV a.C.. O que não significa que se possa afirmar uma continuidade de povoamento entre essa época e a formação do povoado fortificado que, na Idade do Ferro, mereceu o nome de Tongobriga.

Não obstante isso, avolumam-se os dados arqueológicos que apontam para uma fundação de um povoado castrejo muito anterior à época de Augusto.

Entre esses dados, destaca-se a presença de peças cuja cronologia deverá remontar ao séc. II ou, até mesmo, ao séc. III a.C.. Embora estas peças surjam normalmente fora do seu contexto original, ganham mais significado quando vistas em conjunto com outros dados cronológicos recentemente obtidos, nomeadamente de datações de Carbono 14.

É o caso da datação de uma lareira associada a uma construção de planta circular, situada na acrópole do povoado, que proporcionou uma data de 2110 +/- 70 BP (360 cal BC – 22 cal AD a 2σ). Mais recentemente, duas outras datações, idênticas e em contextos totalmente diferentes, vieram reforçar a importância da anterior: as terras em que foi aberta a canalização de drenagem de águas de uma domus forneceu uma data de 2083 +/- 26 BP (181 – 41 cal BC a 2σ); e as terras que compunham o miolo da muralha – as quais nos fornecem um terminus post quem para a construção de uma primeira linha defensiva, que não será exatamente aquela que hoje observamos – forneceram sementes carbonizadas, uma delas datada de 2102 +/- 27 BP (194 – 51 cal BC a 2σ).

Em conjunto, estes dados reforçam a possibilidade de o povoado fortificado que mereceu o nome de Tongobriga ser uma fundação ocorrida na sequência das campanhas de Decimus Iunius Brutus, de cognome “o Galaico”, em 138 – 136 a.C.. Se assim for, o seu aparecimento afasta-se do contexto histórico a que é atribuída a fundação de outros grandes povoados castrejos da região, como o Monte Mozinho (Penafiel), que continua a não fornecer indícios de ocupação anterior à era cristã; mas ganha outro enquadramento num processo de fortificação dos povoados castrejos do noroeste peninsular que está bem documentado em vários outros locais congéneres da área dos Callaeci.

Se efetivamente for possível recuar a formação de Tongobriga até ao séc. II a.C. – embora, em termos de arquitetura, pouco se conheça dessa época por causa da intensidade das transformações posteriores – torna-se muito mais clara a imprescindível maturação do núcleo populacional primitivo de Tongobriga, necessária para a compreensão do fenómeno de desenvolvimento urbano que lhe é reconhecido a partir dos finais do século I d.C.

Este possível recuo da cronologia das fases iniciais de Tongobriga ajuda-nos a compreender melhor a organização urbana posterior, a qual parece só ser explicável se já há muito tempo se tivesse vindo a desenvolver neste local um importante povoado.